10/11/2017 • 10:24:15

Laudo comprova que Kelly Cadamuro morreu por asfixia



DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO




O laudo da necrópsia da jovem Kelly Cadamuro mostrou que a causa da morte da radiologista foi por asfixia. O crime foi cometido mediante estrangulamento com uso de uma corda.

Jonathan Pereira do Prado, de 33 anos, confessou o crime e está preso em Frutal (MG).

O laudo confirmou a declaração de óbito preliminar, que constatou que a jovem de 22 anos foi morta por asfixia e estrangulamento. As investigações da Polícia Civil apontam que a jovem morreu depois de ter as mãos e o pescoço amarrados e ser arrastada por cerca de 30 metros.

Outros laudos são aguardados para que se determine se a vítima também sofreu violência sexual.

A radiologista Kelly Cadamuro foi dada como desaparecida depois que saiu, ainda no dia 1º de novembro, de Rio Preto, com destino a Itapagipe (MG) para encontrar com o namorado.

O corpo da jovem foi encontrado em um córrego entre Itapagipe e Frutal, no dia 2 de novembro, sem a calça e com a cabeça mergulhada na água. No mesmo dia, um homem foi preso suspeito do crime.


Desenvolvimento:

Sistema Araça de Comunicação LTDA • Todos os direitos reservados