11/11/2017 • 12:52:28

Professores debatem a Prática de Educação Humanista em Araçatuba

​O​bjetivo do IAS e da Associação Brasil SGI, que promoveram o evento, foi difundir o conceito



DE ARAÇATUBA


Divulgação
Professores debatem a Prática de Educação Humanista em Araçatuba - Divulgação


O Instituto Apoio Social (IAS), de Araçatuba, debateu neste sábado (11), com professores e educadores de municípios da região de Araçatuba, a prática da Educação Humanista.

O evento foi realizado no teatro da Unip (Universidade Paulista) e contou com a participação das consultoras educacionais da Associação Brasil SGI (BSGI) de São Paulo – Irene Sakajiri e Lúcia Takano -, do representante da BSGI local, Luiz Carlos Custódio, das professoras Andréia Anastácio Miam e Adriana Canuto, membros da coordenadoria Educacional BSGI (Departamento de Educação Humanista Soka Internacional) de Araçatuba, e também de integrantes das secretarias municipais de Educação de Araçatuba e Birigui.

Cada um dos palestrantes apresentou estudos de casos desenvolvidos com práticas humanistas e que trouxeram resultados positivos.

A primeira a falar foi a professora Mariane Savioli, que faz parte da equipe de Educação Especial Inclusiva de Araçatuba. Ela abordou o tema “Atendimento Educacional Especializado: Uma proposta educacional humana para o desenvolvimento de alunos com deficiência".

Na sequência, a professora Andréia Anastácio Mian falou sobre o projeto “Academia Magia da Leitura”, que existe desde 2010, em Araçatuba. Em seguida, foi a vez da representante da secretaria municipal de Birigui, Andrea Ramos Oliveira, tratar do projeto da secretaria, baseado no livro “Honrar a Criança”.

Por fim, a professora Adriana Canuto abordou o Programa de Orientação para Pais e Estudantes (POPE), que é específico para orientar os pais e estudantes que têm dificuldades no processo de aprendizagem.

Práticas humanistas

​Todos os projetos apresentados pelos palestrantes têm como tema central a Prática Educacional Humanista Soka, ainda pouco difundida nas escolas do país. Segundo Irene Sakajiri, consultora da Coordenadoria Educacional do DEPOHPE (Departamento de Orientação Humanista para Professores, Pais e Estudantes) da BSGI, a Prática da Educação Humanista Soka prioriza fazer evidenciar o potencial máximo dos envolvidos no processo de aprendizagem, seja do aluno ou mesmo do professor. “É uma troca de experiência e de ações transformadoras”, completou.

Irene Sakajiri explica ainda que o diferencial da pedagogia Soka (que significa criação de valores) é fazer com que cada pessoa, principalmente cada professor, realize de forma contínua a chamada revolução humana, que nada mais é do que o poder de transformar o local de atuação, a forma de pensar, de sentir e agir. “Sempre com profundo respeito e valor máximo à vida”, completou.

Resgate

A também consultora educacional do DEPOHPE, Lucia Takano, diz que a prática Educacional Humanista trabalha para identificar o potencial e resgate da humanidade desse aluno. “É o que chamamos de Cha – Competência, Habilidades e Atitudes”.

Lucia explica ainda que esse trabalho só é possível de ser realizado quando há o envolvimento da família (lar), da sociedade e, por fim, da escola. Para Silvia Niwa, associada-fundadora do IAS, encontros como o de ontem são importantes, principalmente, por proporcionar a troca de experiências entre profissionais da educação.

Sobre o IAS

O Instituo Apoio Social (IAS), de Araçatuba, atua desde 2006 nas áreas da educação, assistência social e saúde. Já em 2007, conquistou a qualificação de Organização Social.

O IAS desenvolve projetos, programas, cursos, seminários, oficinas, capacitações e palestras. Beneficiando ao longo de sua história em torno de 50 mil pessoas, entre crianças, adolescentes, jovens, adultos e crianças.


Desenvolvimento:

Sistema Araça de Comunicação LTDA • Todos os direitos reservados