Imposto de Renda: Veja dicas para não cair na malha fina

Imposto de Renda: Veja dicas para não cair na malha fina -


O prazo para envio da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) termina no dia 30 de abril. A multa mínima para quem deixa de cumprir a data é de R$ 165,74 e a máxima é equivalente a 20% do imposto devido. Além disso, o contribuinte fica com o CPF restrito em órgãos de proteção ao crédito, estabelecimentos bancários e órgãos públicos.


Para evitar transtornos, Marcus Vinícius Apóstolo, diretor-adjunto da Itamaraty Contabilidade & Auditoria, afirma que é preciso agilidade e organização. “É raro o contribuinte juntar toda a documentação necessária antes do início do prazo, o que acarreta no esquecimento de documentos importantes ou informes de rendimentos. A situação complica quando alguns desses documentos demandam tempo maior para que sejam emitidos”, explica.

Na pressa para não perder o prazo, muitos contribuintes acabam preenchendo os campos solicitados pela Receita Federal de forma incorreta. Neste sentido, Marcus Vinícius aponta alguns erros que podem levar à malha fina. Confira:

- Evolução patrimonial incompatível com a renda declarada – O ideal é que o contribuinte avalie a coerência das informações prestadas à Receita Federal. Diferenças entre receitas e despesas podem levar à malha fina e, neste caso, a Receita Federal pode tributar a possível “renda não declarada” pela tabela progressiva.

- Dados incorretos – O contribuinte deve prestar atenção às informações preenchidas, como números de documentos pessoais ou valores gastos. Mesmo que não haja má-fé, a Receita Federal fará o cruzamento dos dados e, se detectar incompatibilidade, pode inclui-lo na malha fina.

- Cuidado com despesas dedutíveis - Esse é um dos pontos mais complexos da declaração, porque influencia diretamente no valor que o contribuinte vai pagar ou receber de imposto. A orientação é para que a legislação tributária seja consultada e que apenas despesas dedutíveis sejam inseridas na declaração.

“É importante lembrar que a lista do que é e o que não é permitido é bastante extensa, o que causa dúvidas no contribuinte. Por isso, sempre incentivamos que ele procure um profissional que orientará corretamente sobre os dados que devem ser preenchidos”, disse Marcus Vinícius.

O especialista afirma ainda que, mesmo que a declaração seja enviada com erro, é possível fazer uma retificação. “Essa é uma possibilidade permitida por lei, imediatamente, à entrega da declaração original. Para isso, o contribuinte pode criar uma senha no domicílio eletrônico da Receita Federal (eCAC) e acompanhar o processamento do envio”, informou. (Com informçãos da Note Comunicação)


Comentários