Setor de serviços em SP tem recorde de faturamento para junho, diz FecomercioSP

Setor de serviços em SP tem recorde de faturamento para junho, diz FecomercioSP - Reprodução


A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) divulgou, em nota enviada ao Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), sua mais recente Pesquisa Conjuntural do Setor de Serviços (PCSS), que mediu os resultados do setor na capital paulista em junho. Segundo a entidade, 2020 registrou o faturamento recorde para o mês em toda a série histórica do levantamento, iniciado em 2010.


As empresas prestadoras de serviços faturaram R$ 35,2 bilhões em junho, em alta de 7,3% em relação ao mesmo período de 2019.

A atividade do setor com o maior faturamento real do mês, dentre as 13 listadas pela FecomercioSP, foi a de serviços Jurídicos, Econômicos e Técnico-Administrativos, com receitas que chegaram a R$ 11,2 bilhões.

A maior variação positiva ante junho de 2019, porém, ficou com as empresas enquadradas no Simples Nacional, que faturaram 27,3% a mais em junho deste ano.

Sete atividades tiveram quedas no faturamento em relação a junho do ano passado: Turismo, Hospedagem, Eventos e assemelhados (-79,1%); outros serviços (-30,2%); Educação (-15,5%); Saúde (-11,8%); Serviços técnico-científicos (-7%); Conservação, limpeza e reparação de bens móveis (-4,7%); e Construção civil (-1,9%). A variação acumulada do ano ainda apresenta contração de 4,2%, em comparação com primeiros seis meses de 2019.

Considerando o persistente cenário de queda para o setor de serviços, a FecomercioSP recomenda aos empresários continuar a adequar seu planejamento financeiro à realidade trazida pela pandemia do novo coronavírus.

A entidade ainda sugere investimentos no relacionamento com o cliente, diversificação nos canais de vendas - principalmente em plataforma digitais - e organização dos negócios em setores com maior potencial de vendas.

Comentários