Crítica de Juliana Paes à CPI da Covid gera reação de artistas nas redes

Crítica de Juliana Paes à CPI da Covid gera reação de artistas nas redes - Reprodução/Instagram


A atriz Juliana Paes entrou para os assuntos mais comentados no Twitter nesta quinta-feira, 3, após sair em defesa da médica Nise Yamaguchi, que depôs na CPI da Covid esta semana. A oncologista é conhecida por defender o uso de cloroquina contra covid-19, apesar de o medicamento ser comprovadamente ineficaz contra a doença, e fez diversas alegações falsas em sua fala na comissão do Senado.


Juliana escreveu em seu Instagram que a CPI foi um "show de horror e boçalidades". "Certa ou errada… não importa", publicou a atriz. "Intimidação, coação, fala interrompida. Mulher merece respeito em qualquer ambiente."

A postagem gerou reação negativa nas redes sociais, e em resposta Juliana publicou um vídeo na mesma rede social em que afirmou não concordar com "ideais arrogantes de extrema-direita" ou com "delírios comunistas da extrema-esquerda". A atriz reclamou da cobrança para se posicionar publicamente e disse existir polarização entre certos e errados.

"Não, não sou 'bolsominion', como adora acreditar quem não me conhece de perto", afirmou ela no vídeo. "Tenho críticas severas a esse que nos governa. Por outro lado, eu tampouco quero que governe essa oposição que se insinua para o futuro. Onde eu tô? Em um ambiente que não me sinto representada por ninguém."

A gravação atingiu 2,9 milhões de visualizações e 66 mil comentários em 14 horas.

Na postagem do Instagram, vários artistas fizeram comentários de apoio a Juliana, como os atores Eri Johnson, Agatha Moreira, Marcos Palmeira e Letícia Spiller, a cantora Fafá de Belém e o apresentador Márcio Garcia. A deputada federal governista Bia Kicis (PSL-DF) também elogiou o "desabafo" da atriz.

Outros artistas fizeram críticas à fala de Juliana. No vídeo do Instagram, a atriz Letícia Sabatella fez elogios à colega, mas ressaltou que existem "muitas fake news disseminadas para acreditarmos que o Brasil corre o risco de virar uma ditadura comunista" e se propôs a conversar com Juliana sobre o assunto.

O cantor Tico Santa Cruz disse no Instagram que a polarização descrita por Paes não existe. "Não existe extrema-esquerda atuando com poder relevante no Brasil. A extrema-direita está no poder", publicou ele.

"Neutralidade também é uma posição política, ainda mais quando se tem um governo genocida atuando livremente em sua pátria."

O rapper Marcelo D2 e o apresentador Gregorio Duvivier também criticaram o posicionamento de Juliana.





Comentários