Nova Pinacoteca quer aumentar interação com o público

A reforma recebeu R$ 85 milhões, desses R$ 55 milhões vem do Estado de São Paulo e R$ 30 milhões de patrocínio privado

Nova Pinacoteca quer aumentar interação com o público - Reprodução


Um museu amigável e inclusivo é o que pretende ser a Pina Contemporânea, o terceiro edifício da Pinacoteca de São Paulo. Com inauguração prevista para dezembro de 2022, o espaço vai se conectar ao Parque da Luz e investir na interação com o público e todo o entorno.


Além disso, o Pina Contemporânea vai abrigar esculturas de maior escala, receber programas pedagógicos, aumentar a reserva técnica para novos acervos e ampliar o público do museu para um milhão de visitantes por ano.

A obra, avaliada em R$ 85 milhões, é custeada pelo Estado de São Paulo e patrocinadores e conta com projeto do escritório Arquitetos Associados, de Belo Horizonte, em colaboração com Silvo Oksman.

"Esse novo projeto de museu é menos um cubo branco e mais uma praça pública", diz o diretor-geral da Pinacoteca de São Paulo, Jochen Volz. A 100 metros da Pina Luz, a Pina Contemporânea irá ocupar o antigo endereço do Grupo Escolar Prudente de Morais, desativado em 2014. Mantendo as características da escola, o projeto irá transformar o pátio em uma praça aberta.

O espaço amplo terá capacidade de receber coleções de maior escala e que a estrutura da Pinacoteca não consegue expor hoje, como as do artista Tunga, além de oferecer mostras com mais tecnologia e interação. Outra necessidade da instituição que o novo edifício irá suprir é o aumento da reserva técnica - local de conservação para peças que não estão em exposição - para o crescente acervo.

No projeto, estão mantidos os volumes arquitetônicos dos dois blocos de edifícios já existentes no terreno. Conectando esses dois blocos, haverá uma grande praça pública coberta, com 1 339,2 m2. Um subsolo e um mezanino complementam a proposta. A intenção foi criar um ambiente amigável, inclusivo, acessível e integrado ao parque da Luz e ao edifício da Pinacoteca Luz.

Primeiro contato com museu

Segundo a Pinacoteca de São Paulo, 70% do público atual experimenta no local seu primeiro contato com museus. Aproveitando esse papel de formação, a Pina Contemporânea quer abrigar programas pedagógicos para alunos de escolas públicas e privadas. O novo espaço poderá receber vários grupos ao mesmo tempo.

Investimento estadual

Avaliado em R$ 85 milhões, o projeto recebeu R$ 55 milhões do Estado de São Paulo e R$ 30 milhões de patrocínio privado. "Fico muito feliz de estar conseguindo realizar em um panorama muito adverso para a cultura, seja pela virtual ausência de política em nível federal, seja pelo quadro da pandemia", afirmou ao Estadão o secretário de Cultura e Economia Criativa, Sérgio Sá Leitão. A inauguração da nova Pinacoteca está prevista para dezembro de 2022, mas as atividades culturais devem começar um pouco antes disso, com a conclusão da primeira parte da reforma. (Colaborou Gilberto Amendola)

 


Comentários