Parada de Rio Preto reafirma resistência à LGBTfobia

Parada de Rio Preto reafirma resistência à LGBTfobia - Divulgação


Depois de uma semana marcada por uma manifestação declaradamente LGBTfóbica e racista de um representante do Legislativo de Rio Preto nas mídias sociais, a Parada da Diversidade, que terá mais uma edição virtual neste domingo, 25, a partir das 14h30, se reafirma como instrumento de promoção da visibilidade do público LGBTQIA+, sigla que envolve lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, queers, intersexuais, assexuais e outras pessoas com orientações sexuais e variações de gênero diversas.


“É importante se manifestar diante de um ataque LGBTfóbico tão sério que a comunidade LGBTQIA+ de Rio Preto sofreu na última semana. Se não reagimos, ficamos na sombra, marginalizados e invisibilizados”, declara Carlos Ricceli, presidente do coletivo Mais Orgulho Rio Preto, responsável pela realização da Parada da Diversidade - Live Show 2021.

O evento virtual, que terá transmissão pelo canal do coletivo rio-pretense no Youtube, é marcado por uma série de performances artísticas e debates sobre temas relacionados à luta desse público historicamente marginalizado na sociedade brasileira, que é a que mais violenta e mata pessoas LGBTQIA+ no mundo.

Na pauta dos debates, o destaque é o Conselho da Diversidade Sexual e de Gênero de Rio Preto, cuja criação não foi aprovada pela Câmara Municipal. Com a participação da psicóloga Talita Carvalho, a atividade visa esclarecer sobre a importância de um conselho desse tipo na cidade, além de discutir sobre a primeira desaprovação e articular para uma nova votação no Legislativo.

A militância e resistência de pessoas transexuais e de mulheres lésbicas negras também estão entre os temas envolvidos pelos debates. “É claro que gostaríamos muito que o evento fosse presencial, para ocuparmos as ruas e mostrarmos que existimos e merecemos respeito. Mas não podemos deixar de nos articular, principalmente depois de tudo o que aconteceu na cidade recentemente”, reforça Ricceli.

As atrações artísticas envolvem nomes de Rio Preto, Birigui, Jales e Barretos. Durante o evento virtual, também será feita a passagem de faixa de madrinha da Parada da Diversidade. A transformista Nally Picumã passará a faixa para Whatuzi Cox.

A Parada da Diversidade - Live Show 2021 tem apoio do +Orgulho, programa criado pelo Museu da Diversidade Sexual (MDS) via Amigos da Arte, organização social de cultura responsável por sua gestão, através do Programa de Apoio à Cultura LGBTQIA+, da Secretaria Estadual de Cultura e Economia Criativa.


Comentários