Bolsas da Europa fecham mistas com avanço da covid-19

Bolsas da Europa fecham mistas com avanço da covid-19 - Agência Brasil


As bolsas da Europa fecharam sem sinal único nesta quarta-feira, 13, com o avanço da covid-19 trazendo pessimismo, em meio a um cenário de novas restrições de mobilidade e aumento de mortes no curto prazo. Por outro lado, algumas movimentações deram impulso às ações no plano corporativo e há alguns sinais de otimismo no mercado. A possível fusão do Carrefour com a canadense Couche-Tard impulsionou os papéis da varejista. O índice pan-europeu Stoxx 600 avançou 0,11%, a 409,07 pontos.


A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, afirmou nesta quarta-feira que a nova rodada de lockdown no continente europeu deve durar, pelo menos, até o final do primeiro trimestre, mas explicou que esse cenário já está compreendido pelas previsões econômicas.

Ainda assim, a dirigente demonstrou preocupação com a distribuição das vacinas contra a covid-19. "Temos grande preocupação com uma eventual ineficiência do programa de vacinação", alertou.

No Reino Unido, o país teve seu recorde diário de óbitos em virtude da covid-19 com mais de 1500 mortes. O primeiro-ministro do país, Boris Johnson, afirmou nesta quarta que é cedo para afirmar que será possível relaxar lockdown em fevereiro. Em Londres, o FTSE caiu 0,13%, a 6.745,52 pontos. O pessimismo com a doença também prevaleceu em Portugal, em dia marcado pela expectativa do anúncio das novas medidas de restrição pelo governo. Em Lisboa, o PSI fechou em baixa de 0,69%, a 5.091,61 pontos.

Entre os fatores impulsionando as bolsas, na seara dos indicadores econômicos, a produção industrial da zona do euro surpreendeu analistas ao subir 2,5% em novembro ante outubro, de acordo com dados divulgados nesta quarta pela Eurostat.

Já o Carrefour informou que estuda uma possível fusão com a canadense Couche-Tard. Com isso, o papel da varejista francesa disparou 13,42% na Bolsa de Paris, enquanto o índice CAC 40 ganhou 0,21%, a 5.662,67 pontos.

Em Madri, a ação da Telefónica saltou 9,67%, depois que a empresa anunciou a venda de suas subsidiárias de torres de telecomunicações na Europa e na América Latina para a americana American Tower Corporation.

O IBEX 35 fechou em alta de 0,18% na cidade, a 8.361,10 pontos.

Na Itália, a crise política que pode levar a queda no governo do primeiro-ministro Giuseppe Conte não levou o FTSE MIB a uma baixa, e, em Milão, o índice subiu 0,43%, a 22.743,65 pontos, o maior avanço dentre as principais bolsas europeias.

Em Frankfurt, o DAX fechou em alta de 0,11%, a 13.939,71 pontos.


Comentários