Buscas por serial killer no Distrito Federal chegam ao 8º dia

Equipe de 200 policiais procura acusado de matar família a facadas

Buscas por serial killer no Distrito Federal chegam ao 8º dia - Reprodução/PMDF


A ação policial para encontrar Lázaro Barbosa, suspeito de ter matado uma família a facadas e de ter atirado em outras três pessoas, continua no Entorno do Distrito Federal. Cerca de 200 policiais estão procurando o homem. É o oitavo dia de buscas pelo criminoso em série. As informações são do portal SBT News.


Lázaro foi visto pela última vez na madrugada desta terça-feira, quando buscou alimentos em uma fazenda em Edilândia (GO). Segundo a polícia do estado, ele foi encontrado pelos donos do local, mas conseguiu fugir. Ele estava dormindo dentro de uma leiteria, quando foi abordado pelos proprietários. Disse que não faria mal a ninguém e que queria se alimentar.

Na noite de segunda-feira (14), ele também foi visto em uma outra propriedade rural, onde chegou a trocar tiros com um caseiro. No local, ele pediu comida e tentou entrar em uma casa, mas não conseguiu, e acabou fugindo para uma mata próxima à região.

Crimes

O homem de 32 anos é o principal suspeito de ter assassinado uma família de quatro pessoas. Na última quarta-feira (9), ele teria invadido uma casa em Ceilândia, no DF, e matado a facadas o pai, Cláudio Vidal, 48, e dois filhos: Gustavo, 21, e Eduardo, 15. Ele levou a mãe, Cleonice Marques, 43, sequestrada. Ela foi encontrada morta dois dias depois. A perícia apura se houve violência sexual.

Além da violência contra a família, ele é acusado de um outro assassinato em Goiás. Nos últimos dias, ele atirou em outras três pessoas, invadiu propriedades, e chegou a atear fogo em uma delas, roubou um carro e trocou tiros com o caseiro.

Desafio das buscas

Segundo o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, o maior obstáculo para encontrar o homem se dá por ele conhecer bem a região em que está se escondendo. "A dificuldade é de ser uma pessoa daqui. Ele sabe onde estão todas as grutas, brotas, e isso tem dificultado o trabalho", disse. "Pelo visto, ele está procurando comida desde ontem à noite, e a gente acredita que vamos acabar com esse processo doloroso em toda região", completou.

Para localizar o homem, os agentes trabalham com cães farejadores. Além de barreiras feitas com viaturas e uso de helicópteros e drones. Em caso de informações, a polícia deve ser contactada. 


Comentários