Unoeste expulsa estudantes que castraram cachorro em república

Animal foi resgatado pela Polícia Ambiental após denúncia

Unoeste expulsa estudantes que castraram cachorro em república - Divulgação


A Unoeste (Universidade do Oeste Paulista) expulsou os estudantes de medicina veterinária após eles castrarem um cachorro da raça Labrador Retriever em uma república. Um dos estudantes postou vídeos nas redes sociais mostrando a castração​​ irregular e o a​​nimal foi resgatado pela Polícia Ambiental após uma denúncia anônima.


​​A decisão sobre a expulsão dos estudantes foi anunciada no mesmo dia em que o Conselho Regional de Medicina Veterinária repudiou a prática e cobrou providências da universidade.

"Há mais de 30 anos, quando iniciamos a Faculdade de Ciências Agrárias, intensificamos a luta pela proteção aos animais de companhia, produção ou silvestres. Este acontecimento recente, que felizmente foi descoberto a tempo de salvar as vidas ali em risco, não condiz com a missão, visão e valores institucionais. São muitas atividades voltadas ao bem-estar animal e, sem dúvidas, esse fato deixou toda a comunidade interna e externa estarrecida. Por isso, comunicamos a expulsão dos envolvidos, já que tal acontecimento não condiz com os nossos princípios institucionais. Desejamos profundamente que fatos como este não se repitam em qualquer lugar do planeta, e reforçamos aqui o nosso compromisso de lutar para que os animais recebam todo cuidado e carinho que merecem", diz a nota oficial da instituição.

A Unoeste ainda agradeceu o trabalho da Polícia Ambiental e da ONG que ajudou no resgate​ do cão. Ele recebeu atendimento veterinário e foi encaminhado para um membro do Conselho Municipal de Proteção Animal, que será o responsável pela sua recuperação.

"Eles filmaram e publicaram de maneira que zombam do sofrimento animal e essa prática configura maus-tratos. Esses indivíduos, covardemente, fugiram do local, mas a Polícia Ambiental já elaborou o auto de infração e a Polícia Civil vai apurar e responsabilizar cada um deles", disse o capitão da Polícia Ambiental, Júlio César Cassiari de Moura.​​


Comentários